quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Alianças

Mais um projecto de Joalharia. Este para mim é bastante especial. Por um lado, porque foi o primeiríssimo projecto na área da Joalharia, quando eu entrei para o Ar.Co há cerca de dois anos e meio. Por outro, porque estas foram feitas à minha medida e do meu passarinho. :)
O conceito do projecto era a União e essa ideia aplicada ao símbolo físico da Joalharia: as alianças de casamento.
Depois de ler o exercício, decidi logo que queria que as minhas alianças se encaixassem ou se unissem de algum modo, mesmo antes de ter qualquer ideia do seu formato.
Acabei por chegar a esta forma que considero que exprime de forma sublime tudo o que eu quis transmitir.
O amor é união: a peça, em si, fisicamente, une-se.
Quando estamos de mãos dadas, é possível encaixá-las uma na outra.
O amor é infinito: as alianças, vistas de cima, as duas juntas, formam o símbolo do infinito ∞.
Anatomia sexual: a aliança masculina tem um gancho que se encaixa na fenda da aliança feminina.:)
A aliança masculina, quando não está encaixada na feminina, adapta-se ao dedo médio e assim não causa desconforto nem se torna um empecilho.
Depois fiz a embalagem. Um dos requisitos nos projectos desta escola era termos de desenhar a embalagem de suporte das peças que criávamos.
Aqui, usei um material plástico da Canson, polipropileno em folha, um material que oferece muitissímas possibilidades na criação de diferentes objectos: cadernos, embalagens, candeeiros, ou até malas, como eu já mostrei neste post.
Nesta embalagem, utilizei porcas e parafusos para a montar e ela pode ser remontada mudando a configuração e reposicionando os parafusos. As alianças sustentam-se encaixando no material e ficam suspensas, dando um ar de leveza ao conjunto. Para rematar, coroei a embalagem com duas violetas verdadeiras, que condiziam com a côr do plástico. O aspecto final do conjunto remete-me sempre um bocado para o formato do bolo de casamento.:) Até que não me importei muito, uma vez que o tema andava aí por essas bandas.
O material: latão com banho de ouro.

3 comentários:

marta disse...

um grande trabalho conceptual :-) lembro-me de o ver ao vivo e em primeira mão quando estavas a fazê-lo e de me teres explicado a ideia por detrás da peça e de já na altura ter achado extraordinária, ñ só pelo resultado em si, mas pelo processo criativo e pelo conceito que permitiram lá chegar.

melisa disse...

É de facto uma peça excêntrica. Eu gosto! lendo sobre as técnicas... de facto sem recorrer a soldadura, recorrendo a várias técnicas de montagem é, quanto a mim, mais uma expressão de exploração do conceito Arte. Oxalá, não se sigam os standards da "moda" somente porque todos gostam, mas essencialmente que o artista explore o próprio material, as variadíssimas técnicas , e não limite a sua criatividade, tornando o "objecto - numa verdadeira "Jóia".
Gostava de ver mais peças tuas do género! um grande abraço

Ana disse...

Nem há palavras. É excêntrico sem ser gritante, é lindo sem dar demasiado nas vistas, é cheio de significado, ao mesmo tempo tão fundo e tão simples. São o <3. *