quarta-feira, 16 de setembro de 2009

The Return of the Jedi II =)

Olá a todos, voltei!!!
Peço imensas desculpas pela longa ausência, mas, pelos vistos, estava mesmo a precisar de férias. Adoro o meu trabalho, é certo, dá-me um gozo enorme fazer o que faço… mas também já sentia falta daquela sensação de não ter nenhuma obrigação sem ser o ‘estar’. Estar, simplesmente. Aproveitar o dia, curtir os sítios diferentes, curtir a companhia do meu passarinho, enfim… FÉRIAS, no verdadeiro sentido da palavra. Mas, como tudo o que é bom se acaba, também as minhas férias se acabaram. E, assim que voltei, foram tantas as coisas e tantos os projectos que me choveram de vários lados, que quase quis fugir e ir de férias de novo...:) Desde que cheguei, foram as Festas do Barreiro 2009, nas quais eu tinha um stand de venda com as minhas coisas, em conjunto com mais duas amigas conterrâneas: a Marina e a Marta. Mas, infelizmente, foi uma semana muito pobre, pois em termos de vendas, acho que nunca um evento me correu tão mal. É certo, já participei em feiras nas quais não vendi nem uma peça mas, de vez em quando, as pessoas ainda olham, tecem comentários, entrego cartões, ou seja... divulgo o meu trabalho, ainda que as pessoas não tenham possibilidade de o comprar. Mas, desta vez, nas Festas, nem as pessoas se chegavam perto! Não percebi porque é que isto acontecia, só sei que, como é que querem apreciar trabalhos diferentes, se nem se aproximam para ver??
Decididamente, não é o tipo de público que eu procuro. E vou dizer isto e até podem haver pessoas a ler que achem feio o que vou dizer, mas é a mais honesta das verdades... as pessoas que comprarem os meus produtos, são pessoas interessadas em algo de único, de diferente e de qualidade!!! E sublinho estas três características pois tenho toda a noção que, apesar de os meus produtos serem a um preço que eu considero justo, ainda existe muita gente que os olha e acha caros. Tal como já referi em outros posts, é sempre uma matéria que me custa falar, pois avaliar o nosso próprio trabalho é sempre díficil, pois estamos sempre muito ligados a ele emocionalmente ou, pelo menos, eu estou, pois todas as coisas que saem destas duas mãos e desta cabeça, são algo de muito verdadeiro e muito meu.
Mas, tal como já escrevi antes, tudo aquilo que eu faço, é feito de RAÍZ, os produtos que escolho são de qualidade, a apresentação final e os acabamentos irrepreensíveis! E sei do que falo, pois vejo muita coisa e aprecio muitos trabalhos, desde a qualidade ao preço e à originalidade e creio que posso afirmar que os meus produtos, ainda que utilizem técnicas muito vistas, se distinguem como algo de diferente e de original. E portanto, quando uma pessoa me pergunta o preço de uma das minhas bandoletes forradas, por exemplo e quando ouve o preço foge a sete pés ( como aconteceu nas Festas) é porque não percebe que tudo aquilo, excluindo a bandolete em plástico que não a faço, compro feita , é forrada e cosida à mão, cada elemento, cada fita, cada pom pom, as embalagens em Origami... enfim, não vos vou maçar mais com este assunto, queria apenas relembrar que devemos dar o devido valor a quem trabalha e dá ao litro para fazer coisas originais e de qualidade e as sabermos distinguir dos demais produtos.
Bem, depois desta ensaboadela, resta-me dizer que actualizações são devidas, tenho muitas fotos de coisas novas para mostrar, e umas fotos especiais, mais uma sessão como esta que fiz com a Vera, mas desta vez com o meu irmão e um amigo a segurarem a objectiva. Mais umas fotos daquelas boas para levantar a auto-estima...:)
Bem, deixo-vos com estas fotos das férias, que muito me apraz partilhar, uma vez que estas férias foram, mais uma vez, mágicas. Eu e o meu passarinho, só os dois, durante duas semanas, a calcorrear o país de carro, de Norte a Sul, sem grande destino... fizémos mais de 2000Km. E é tão bom partir à aventura!..:)
Amanhã há mais***************
P.S- A mala na última foto foi comprada na Feira Medieval de Silves, a uma rapariga que tinha coisas lindíssimas. todas muito originais, a Vânia, que tem um blog chamado Histórias de Panos. Vão ver, que vale mesmo a pena! ;)

5 comentários:

Inês disse...

Pelas fotos já vi que foram umas belas ferias.
Eu apoio incondiconalmente este tipo de artesanato, mas atenção, quando é bem feito! Não gosto nada daquelas pessoas pseudo-artistas que vão para as feiras vender coisas super mal feitas sem qualidade nenhuma.
Este verão nas feiras até que gastei alguns eurinhos em pregadeiras.

Bom trabalho!
beijinhos*

O Sonho d@ Bubulet@ disse...

Amiga

As fotos, os acessórios, tu principalmente estão simplesmente MARAVILHOSOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSS
QUE INVEJA TOU FEITA ROSA DO TEU MANO HEHHEHEHE

Amiga pode ser que amanhã seja melhor. Vamos pensar que sim.

Beijão do tamanho do mundoooooooooooo

Ana Encarnação disse...

Obrigada Inês... E Martinha! :)

Sim, espero que amanhã seja melhor, sim.

Concordo contigo Inês, também estou farta de ver nas Feiras malta com coisas compradas nos chineses e que se pôem a vender como se fossem da sua autoria! Não é justo, não existe um critério e uma coesão nos trabalhos, tens gente que faz tudo junta com gente que compra tudo feito e depois não se percebe ... enfim.

As Feiras de Artesanato deviam ser, como o nome indica, de produtos artesanais e não com cópias ou réplicas de coisas já existentes.
Mas enfim, como é que se explica às pessoas, ao público, que depois compra na banca do lado um berloque da Pucca ou seja lá do que fôr, por 3 euros e depois pedem para vender as minhas peças ao mesmo preço? É a essa malta que me custa justificar o preço do meu trabalho, porque sem dúvida que eles não vão perceber...

Pode ser que isto vá mudando. Mas tem de se educar as pessoas. E eu faço por isso...:)

Beijos************

zarah disse...

hum... duvido que mude, Ana... simplesmente, acho que depende dos contextos, por muito que me custe dizer. Há pessoas que estão naturalmente predispostas para entender e dar valor e outras não...
Sim, há bancas que só me deixam triste. E com esse mesmo questionar que tu... Mas se é suposto ser "feira de artesanato" onde é que está o artesanato?
E depois há ainda as pessoas com muito boa intenção e que fazem de coração, mas que simplesmente não estão a fazer nada de original...
Tem que haver um equilíbrio, claro... não podemos ser elitistas e preconceituosas, mas há que haver algum critério de selecção, não é? Senão qualquer dia vale tudo (ainda mais que agora). Olha, electrodomésticos, por exemplo, também se pode vender na feira de artesanato, boa?

Esta discução não tem fim, infelizmente, mas não vale a pena discutir. Basta fazermos o nosso trabalho com alma e tirarmos prazer disso e, se há um grupo de pessoas que o entende e acarinha então ainda melhor. No teu caso, esse grupo deve ser graaaannnde! ;)
E estimular e encorajar as pessoas a serem únicas no que quer que seja que façam também é muito importante.

hugs*

p.s.: que sessão bonita essa com o teu irmão e o amigo :)

Ct sem neurónios. disse...

olá ana!
já tinha visto as tuas coisinhas amorosas, e tinha adorado.
agora que também criei uma ceninha destas, vou seguir. :)